Páginas

domingo, 23 de dezembro de 2012

O Caráter do Servo


Como podemos definir o caráter de um servo útil, bom e fiel? Em certa ocasião, o Senhor Jesus ensinou assim:
“Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.” – Lucas 17.10
O servo é considerado inútil mesmo que faça aquilo que lhe é ordenado; já o servo útil é aquele que, além de fazer o que lhe foi confiado, aplica-se com amor e dedicação, de sorte que coloca toda a sua força e a sua vida ao serviço do Senhor.
Na parábola dos talentos (Mateus 25:14-30), o Senhor Jesus considerou bons e úteis os dois primeiros servos, que saíram imediatamente a negociar o que lhes havia sido confiado e, algum tempo depois, prestaram contas, dizendo:
“Eis aqui outros cinco talentos que ganhei.” – Mateus 25.20
Ora, devido  a esse comportamento, foram elogiados

pelo Senhor e considerados servos bons e fiéis. Devemos entender que o servo bom é aquele que manifesta um caráter idêntico ao do Senhor. Muitas vezes, o servo demonstra fidelidade na sua vida e pensa que isso já é o bastante. Alguns apresentam uma fidelidade tão marcante e tão forte que chegam a pensar que seus deslizes de condutas são justificados. Muitos até têm usado erroneamente a interpretação da palavra de Tiago quando disse:
“Meus irmãos, se algum entre vós se desviar da verdade, e alguém o converter, sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado salvará da morte a alma dele e cobrirá multidão de pecados.” – Tiago 5: 19-20
Essa multidão de pecados que são cobertos é do pecado
r que se converte, e não daquele que o converteu! Se fosse o contrário, não haveria justificação pela fé e sim pela obra, a de salvar os outros. Veja o que o Senhor ensina:
” Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.” – Mateus 7:21-23
Esse era aparentemente, um servo fiel, pois havia profetizado, expelido demônios e feito milagres, mas o Senhor lhe diz: “Apartai-vos de mim, porque nunca vos conheci!”
Resumindo, não basta ser fiel, pois é preciso também ter o caráter de Cristo.
Na fé…
Pr. Gustavo

(Texto extraído do livro “O Senhor e o Servo” Bispo Macedo)

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Continuar fazendo o que você acha melhor?

De uns dias pra cá estava meditando na história de Davi e Saul, dois tipos de reis e modos distintos de pensamentos, o que para um era importante considerar, para o outro já não era tão importante assim, Saul andava no meio dos profetas, foi escolhido por Deus sem dúvidas e foi usado por Ele enquanto ele fazia o que era pra ser feito, enquanto ele obedecia, mas quando ele acabou sendo levado pelas circunstâncias acabou a fazer o que achava o que era o certo e acabou sendo rejeitado por Deus, mas você me pergunta: "Mas Deus pode rejeitar alguém?" ou "Por que Deus também não rejeitou Davi quando roubou a esposa do seu servo mais fiel?".


Na verdade não é da vontade de Deus rejeitar ninguém, Ele mesmo diz que
 "e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora." (João 6:37) 
mas Deus sente desgosto a quem não é obediente, aquele que faz as coisas da maneira que pensam que deve ser feito, ultimamente eu tenho sido bem repetitivo com os meus jovens, tenho dito sempre "Enquanto vocês fizerem as coisas da maneira que vocês acham que devem ser feitas e não da maneira correta, sempre o resultado será o que vocês não querem, porque não está sendo feito certo, tudo que começa errado termina errado" e as vezes um tanto que muito repetitivo (eu me conheço e sei que as vezes sou bem chato) mas o que eu acredito é que devemos nos preocupar em fazer o que deve ser feito, mas tudo que deve ser feito Deus dá as coordenadas, já pensou se Noé não seguissem as coordenadas de Deus ao construir a arca? e se ele dissesse: "Mas não precisa ser cipreste, por que não outra madeira? O quê? três andares? pra quê? posso fazer com dois andares e já está bom, afinal de contas é pra salvar os animais mesmo e minha família..." Pode ter certeza que se ele tivesse seguido o pensamento dele (que não foi esse) teria dado alguma coisa errada, talvez nem chegasse a terminar no prazo devido.
O que eu costumo sempre falar é que eu não quero que façam aquilo que eu digo apenas, tem que fazer o que é correto, o que deve ser feito, da maneira que deve ser feita, mesmo que venha alguém no meu lugar e não diga o que eu ensino, mas sempre vão saber o que é o certo a ser feito, vocês precisam entender o quanto devemos nos preocupar se o que estamos fazendo é o que Deus espera da gente, toda vez que eu penso em fazer as coisas da minha maneira, lembro-me logo de Saul, então lembro que não quero ser rejeitado, por isso não quero fazer o que EU ACHO e sim o QUE DEVE SER FEITO. Saul ACHOU que se ele sacrificasse antes do profeta chegar ele conseguiria salvar a tempo seu exército, mas o que aconteceu por ele fazer o que ele ACHAVA que estava certo? Foi rejeitado, todo aquele sacrifício não foi válido, você pode até se esforçar bastante "sacrificar" bastante em algo, mas por ser da forma que você acha que é correto, todo esforço não será válido, pense bem.
Não seja cabeça dura, Deus está esperando que você o convide para tomar a direção de tudo, essa semana aconteceu algo que me deixou bem surpreso, domingo acordei quatro e meia da manhã e não fui mais dormir, quando levantei fui direto pro altar e dobrei meus joelhos e fui desabafar com Deus, estava cansado de ver as pessoas quebrarem a cara insistindo da maneira errada, estava cansado de ver alguns completamente parados no tempo, alguns frios, mas o que eu achava que ia adiantar era cobrar e cobrar e chamar atenção, mas não, fui pedir pra Deus ensiná-los o que eu não estava conseguindo fazer eles entenderem o que era certo, só sei que me levantei já era passada das cinco da manhã, e acredite, foi a semana que eu mais vi progresso em todos esses dez meses que cuido do Força Jovem, gente recebendo o Espírito Santo, gente acordando pra vida, gente decidindo se batizar nas águas, gente entendendo que precisava buscar pela própria salvação, gente resolvendo aprender mais, até aprender novos idiomas rsrsrs e até quem estava em outro estado, Deus fez acordar! foi muito forte, e essa tem sido minhas orações


"Senhor que não seja eu, que as coisas não aconteçam para que venha me agrada ou acabar agradando o diabo, mas que o Senhor seja glorificado."

quarta-feira, 9 de maio de 2012

A amargura de Ana



Eu continuo falando e sempre vou bater na mesma tecla, se a pessoa ainda não teve um encontro com Deus, ainda não teve uma entrega, um voto sincero, nada, absolutamente nada será a garantia da felicidade dela, estamos vivendo na fé da Fogueira Santa pela vida sentimental, todo mundo quer ser feliz, todo mundo quer ter o casamento transformado, todo mundo quer encontrar a pessoa ideal que a faça feliz, você leu direito isso? QUE A FAÇA FELIZ??? Muitos estão amargurados de espírito, estão sem esperanças devido à desilusão amorosa, mas como assim alguém vai fazer outro feliz se nem mesmo ela tem o autor, a garantia da felicidade? adianta sacrificar? Será que resolve mesmo o problema? Daí você me pergunta: “Mas Pastor por que estamos vivendo a fé da Fogueira Santa então?” Sim estamos e temos que viver de fé em fé, mas você já vai entender aonde eu quero chegar, vejamos a história de Ana, lembra dela? amargurada de espírito porque não podia ter filhos? Se você prestar bem atenção na história dela, vai entender aonde eu quero chegar.


“Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina; Penina tinha filhos; Ana, porém, não os tinha. Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR. No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril. [...] E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia.” (1 Samuel 1: 2-7)

Este era o quadro de Ana, para entender melhor, vejamos aos detalhes desse enredo: Ana era a primeira esposa, antigamente quando uma esposa era estéril, o marido poderia ter outra serva para que concebesse um filho para dar continuidade à linhagem, então Penina era a outra como a Bíblia descreve, Ana e Elcana eram tementes a Deus, tanto é que de ano em ano eles subiam à casa de Deus para oferecer sacrifícios a Deus, seu marido sacrificava por Penina, e por Ana ele fazia o sacrifício dobrado, mas Ana também subia sempre até a casa de Deus, Ana era constantemente irritada por causa de Penina, e isso a deixava amargurada, digamos que Ana sofria de Depressão, pois não tinha interesse de comer e só chorava, você certamente já deve ter visto alguém que tem depressão profunda e não tem vontade de comer, pois bem, mesmo estando frequentemente na casa de Deus, na verdade Ana tinha sim um problema no seu casamento, pois não poderia dar ao seu marido a alegria de ser mãe, mesmo seu marido a amando tanto, por que será que Deus ainda não havia mudado aquela situação? O que faltava? O marido sacrificava, Ana sacrificava, ela não subia só para oferecer sacrifícios, mas ela frequentava a casa de Deus, quantas não são as pessoas que vivem nesse mesmo dilema dentro da Igreja? sacrificam, são assíduas, porém, amargurados porque ainda falta algo, mas Ana fez algo que mudou verdadeiramente o quadro da vida dela:


“Após terem comido e bebido em Siló, estando Eli, o sacerdote, assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR, levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente. E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha. Demorando-se ela no orar perante o SENHOR, passou Eli a observar-lhe o movimento dos lábios, porquanto Ana só no coração falava; seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma; por isso, Eli a teve por embriagada” (1 Samuel 1; 9-13)

Muito bem lá se foi a amargurada até a casa de Deus, mas dessa vez ela fez diferente, mas não me refiro somente ao voto que ela fez com Deus de entregar seu filho que ela ainda nem tinha, ela estava na dependência da resposta de Deus, mas o que fez realmente Deus se lembrar dela foi isso aqui;


“Porém Ana respondeu: Não, senhor meu! Eu sou mulher atribulada de espírito; não bebi nem vinho nem bebida forte; porém venho derramando a minha alma perante o SENHOR.” (versículo 15)

Era exatamente o que faltava, faltava uma entrega de verdade, claro, antigamente as pessoa não tinham acesso ao Espírito Santo, mas faltava esse derramamento por completo, era o que faltava para ela acrescentar no sacrifício dela para a mudança total, o voto ela já tinha feito e talvez todas as vezes fazia quando subia para sacrificar, mas faltava algo, a entrega total, por isso eu sempre digo, se você não é feliz sozinho (porque não tem o autor da felicidade) quem disse que com alguém vai ser? Como se a garantia da nossa felicidade estivesse em homens ou mulheres, é isso que falta pra muitos, porque sacrificar o material, talvez já virou uma tradição como essa família fazia de ano em ano, por isso você não deve se enganar, não desperdice seu sacrifício se ainda não derramou sua alma ainda no altar de Deus, porque você nunca será feliz com alguém se o autor dessa felicidade você ainda não carrega dentro de si.

Aquilo era o que faltava para Ana acrescentar no voto dela, o que ainda falta para você?

Que Deus te abençoe nessa campanha.

Na fé…

Pr. Gustavo

quinta-feira, 15 de março de 2012

Boa Perfeita e Agradável?

"Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração está a tua lei" (Salmos 40:8)
   Quando a gente ora e pede para Deus nos abençoar, Ele abençoa naquilo que a gente precisa, não naquilo que a gente quer, pois muitas das vezes o que queremos não é o que precisamos e não entendemos na hora, mas para quem entregou a vida nas mãos de Deus não tem que querer algo ou muito menos entender coisa alguma, pois se escolhemos servir a Deus, tivemos a consciência de que nossos desejos, nossas vontades já não são mais importantes, estão todas em favor do Senhor, não podemos, também, deixar nada desviar o nosso foco, pois foi Deus quem colocou o desejo em nós.

    Tudo aqui na terra é passageiro, tudo passa rápido e até demais, você pode ser jovem, ter amigos,  mas tudo isso não vai durar para sempre, não queira que Deus faça as coisas da sua maneira, pois suas vontades já morreram um dia e creio eu que já foram sepultadas.

    A obra de Deus exige adaptações, é como se fosse uma pecinha de brinquedo de criança, ela não encaixa em outro lugar a não ser aonde ela foi adaptada, eu vejo muitas pessoas que querem que Deus venha se adaptar da maneira dela, eu me lembro de um obreiro em uma cidade que eu passei aqui no estado que ele não conseguia controlar o tom de voz dele, e eu sempre chamava a atenção dele, pois o normal dele sempre era gritando e atendia as pessoas assim, conversava com o pastor regional assim, qualquer que fosse a pessoa era sempre o mesmo tom de voz alta, e ele sempre falava "Eu falo assim, esse é o meu modo de falar..." ou seja, quem gostar gostou, quem não gostar, paciência, e era algo tão simples e por mais que eu orientava ele tentar abaixar o tom de voz dele nada adiantava, parece que ele gritava mais, eu sempre dizia se algo tão simples ele não pode se esforçar, imagina em relação às coisas da espirituais? falaria o que para Deus? "Ah meu Deus, sinto muito, mas é assim o meu jeito e não posso fazer nada."

    Quando agradamos a Deus, escolhemos obedecer a sua palavra, o próprio rei Davi tinha esse desejo, a obediência é a chave, porque você pode prestar atenção, o diabo só tem acesso à nossa vida se ele acha uma desobediência, mas quando contrariamos a nossa vontade, e, sentindo vontade ou não, obedecemos a sua palavra, mostramos de quem somos servos, pois nos tornamos servos daquele que obedecemos.

Na fé...
Pr. Gustavo

sábado, 18 de fevereiro de 2012

A Filha do Pastor - Filme

Uma das melhores versões da passagem "O filho pródigo", o filme na versão brasileira "A Filha do Pastor" conta mais ou menos o que acontece nos dias atuais, o que me chamou atenção foi que a forma que a protagonista se perde não foi por luzes lá do mundo propriamente dita, mas de uma forma meio que interessante, por pessoas que se dizem de Deus, incrível como mostra a forma como o diabo aparece com pessoas que supostamente são de Deus, até porque nós que somos da fé se chegasse alguém lá de fora, na hora não aceitaríamos, então ele envia pessoas que parecem ser de Deus, e assim tem várias pessoas até mesmo dentro da Igreja.
A filha do pastor pensou que pelas cidades que passaria, iria pregar a palavra de Deus através dos teatros e músicas, mas na realidade se deparou com um mundo cheio de ilusão, ela provou por ela mesmo que o mundo não tem nada a oferecer, do contrário de como ela pensou "Talvez lá fora tenha muita coisa que eu esteja perdendo".
Fica a dica pra vocês, leitores, ok, o filme não é lançamento, mas eu para assistir filmes sou terrível, é raro quando assisto um, já faz mais de um ano que ouço falar desse filme, mas só agora pude ver, depois de muitas pessoas me falarem do mesmo, mas não duvido que não exista alguém que ainda não viu.
Ótimo para passar para os jovens em um dia de cinema, ótimo para assistir com os amigos na casa de alguém, ótimo para assistir em família, e também sozinho.

Fica aí a dica, o Trailler está aí, caso se você ainda não assistiu (deveria se envergonhar, pois pensei que só eu ainda não tinha assistido rsrs)


Não encontrei um trailer com legenda ou dublado oficial, mas para você que sabe inglês não é um problema!

Na fé...
Pr. Gustavo

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Entregar-se por completo



Você já parou pra analisar desde o dia em que você chegou até à igreja? Como foi o estado e sua situação que se encontrava ao chegar? Hoje talvez ainda falte muita coisa para mudar em sua vida, digamos que não esteja 100% transformada, talvez há coisas a serem conquistadas, sonhos para serem realizados, mas o que o Espírito Santo já fez ou tem para fazer? Talvez uma delas é fazer você ser batizado(a) no Espírito Santo, mas por que que você ainda está de fora? Será que é não é porque você não quer sacrificar?

Mas quem é que sacrificou para o Senhor Jesus que não foi abençoado? Davi amava tanto ao Senhor, que tudo o que ele possuía ele ofereceu para a construção do Templo de Deus, tudo que o próprio Deus havia dado a ele, e isso que ele já tinha conseguido vencer batalhas, ele já era rei,o que mais Davi queria? Vemos que Salomão foi rico não por causa de Davi, pois ele não deixou herança alguma para o seu filho " E ainda, porque amo a casa de meu Deus, o ouro e a prata particulares que tenho dou para a casa de meu Deus, afora tudo quanto preparei para o santuário" (1Crônicas 29:3) Agora você entende que não foi por acaso que Deus disse "Amei Davi, meu servo..." Porque quem ama de fato sacrifica, o próprio Deus por nos amar sacrificou seu único filho.

Quando nos despojamos do nosso "Eu", de todas as coisas, O Espírito Santo pode descer em nossas vidas, mas se não abrimos o nosso coração, é impossível o Espírito Santo trabalhar, pois não há espaço para Ele. Todos os que sacrificaram agradaram a Deus.
Exemplos: Maria em Betânia com o vaso com o nardo mais precioso, Zaqueu, deu tudo que possuía e largou o pecado para receber a salvação, a viúva pobre que de todo o seu sustento ofereceu aos pés de Jesus, lembram da multiplicação dos pães e peixes? linda passagem não? Mas de onde veio aqueles cinco pães e dois peixes que ficaram pra história? do rapaz, que aquilo era tudo o que ele tinha, ofereceu a Jesus e ainda voltou com doze cestos cheios sobrando depois de ter alimentado mais de cinco mil pessoas, a viúva de Sarepta, quando o profeta foi procurá-la, pediu a única refeição que ela possuía e Deus sustentou por mais três anos e seis meses e depois que seu filho morreu Deus ainda ressuscitou. Vejam que todas essas pessoas ficaram na memória pela sua atitude de entrega.

E o que você é capaz de fazer para receber a plenitude (totalidade) de Deus em sua vida?

Na fé...
Pr. Gustavo