Páginas

domingo, 11 de maio de 2014

O justo viverá pela sua fé!


"O justo viverá pela sua fé." (Habacuque 2:4)
Há uma enorme diferença entre ter fé e viver pela fé, muitos professam uma fé, mas ela não tem sido suficiente para acabar com os sofrimentos, viver pela fé é você depender dela todos os dias para viver, a condição é a fé, e isso não se trata de um sentimento ou crença, e sim de atitude, o diabo tem prevalecido na vida de muitos porque esses não fazem o uso da fé, não a põe em prática, a fé é uma arma poderosa e ao mesmo tempo a garantia da conquista de qualquer coisa, mas tem algo bem pequeno que pode anular completamente o efeito da fé, isso se chama "Dúvida" ela é capaz de neutralizar completamente a ação da fé, e uma vez a fé anulada, que é a certeza, a dúvida consegue impedir a pessoa conquistar, ninguém toma uma decisão baseada em dúvidas, e consequentemente acaba dando a luz ao "Medo" e o medo escraviza a pessoa, trazendo a pessoa para o "Fracasso", esse é o efeito da dúvida na vida da pessoa, que pode ser impedido completamente se a pessoa "Viver pela sua fé", veja que a palavra de Deus é bem clara no "sua fé" e não pela fé de terceiros.
Uma fé definida é o que Deus precisa ver, uma fé definida é uma fé inteligente, baseada na palavra de Deus e no cumprimento das profecias, Deus quer muito mais que você tenha uma fé, todo mundo tem, mas que você viva por ela, defenda sua fé, dela você depende até para a sua salvação, para estar salvo todos os dias temos que mantê-la segura em nós, mantê-la intacta.
Não importa o tamanho da fé, o que importa é se você fará uso da mesma para viver no caminho de Deus, o que importa é se você fará uso da mesma ao invés de ficar apoiado numa religião esperando as coisas acontecerem por si só, sua cura, sua libertação, seu novo nascimento e outras demais coisas depende disso.

O justo, ou seja, o que pratica a justiça, vive pela sua fé, não depende das circunstâncias, sua fé não é instável e nem se deixa abalar pelas suas emoções, aconteça o que for, ela se mantém firme, vive pela fé!
.
Na fé...
Pr. Gustavo

domingo, 4 de maio de 2014

Por que Elias desafiou os profetas de Baal.

           
Houve um tempo em Israel, nos dias do rei Acabe, que o povo havia se corrompido, estavam servindo a Baal e levantando altares a ele, Acabe foi o pior rei que Israel teve, a Bíblia menciona que tudo que ele fazia era para provocar a ira de Deus, e se não bastasse, sua esposa Jezabel, perseguia os profetas que falavam em nome do SENHOR dos Exércitos.
                Devido o povo estar fazendo toda sorte de abominações, Israel estava sem chover por 3 anos, vemos o exemplo da viúva de Sarepta, foi na mesma época que isso estava acontecendo, agora preste atenção no cenário: Fome e seca extrema, sem chuva e isso trazia morte aos animais, pois não havia vegetação, o povo se corrompendo e servindo aos baalins, os profetas de Deus escondidos em cavernas porque estavam sendo perseguido por Jezabel, então Deus fala a Elias para se encontrar com Acabe e anunciar que Deus enviaria chuva. “Vai e mostra-te a Acabe, porque darei chuva sobre a terra”.
                Agora veja o seguinte: Deus acabou de mandar Elias em uma missão suicida para dizer que a chuva iria ser derramada, Obadias – o mordomo da casa de Acabe – era temente a Deus, e ele mesmo estava sustendando 100 profetas à base de pão e água, ele dividiu dois grupos de 50 e escondeu em duas cavernas, pois eles eram jurados de morte; Obadias estava à procura de erva para dar de comer aos animais de Acabe, no caminho encontrou Elias, quando Elias disse para Obadias avisar a Acabe, seu senhor, que ele queria encontra-lo, Obadias teve medo, pois Elias já era procurado pelas redondezas pela sua fama, Acabe mandou várias vezes grupos à sua procura, mas nunca o encontrava, e se Obadias fosse anunciar que o havia encontrado, Deus certamente poderia tomar Elias e não achando Elias, Acabe mataria Obadias, mas mesmo assim, Elias pediu para aviar a Acabe, e foi Acabe se encontrar com Elias.
                Você se lembra para qual finalidade Elias foi se encontrar com Acabe? Para profetizar a chuva em Samaria, mas não foi só isso o que aconteceu, Elias se revoltou com o sarcarsmo de Acabe e pediu que reunisse todo Israel no monte Carmelo, chamasse todos os profetas de Baal para um desafio, ali já não era Deus que estava propondo o desafio, mas a fé de Elias, pois ele acreditava plenamente que Deus o responderia e fizesse que todos vissem quem realmente era Deus, pois talvez se Deus mandasse chuva naqueles dias, o povo acreditaria que fosse Baal que fizera isso acontecer. Então reuniram 450 homens de Baal e todo o povo de Israel, Elias ainda perguntou ao povo “Por quanto tempo vocês ficarão entre duas opiniões? Se o SENHOR é Deus, então siga-o: mas se é Baal, do mesmo modo siga-o.” (King James Version)
                Naquele momento só havia Elias sobrado dos demais profetas, todos estavam escondidos, Elias propôs que separassem dois bezerros e levantassem ali dois altares, e quem respondesse com fogo esse seria Deus. Você sabe o que aconteceu, os profetas de Baal ficaram até o meio dia “E sucedeu que, passando o meio dia profetizaram eles, [...] porém não houve voz, nem resposta, nem atenção alguma.” (Ameida Revista e Corrigida) .
                Elias reuniu todo o povo que estava ali, tomou doze pedras e edificou um altar, dividiu o animal em partes, ainda cavou ao redor derramando três vezes quatro cântaros cheios de água fazendo uma poça e derramando também sobre o animal, ele ofereceu a oferta de manjares (que era a oferta que se dava no início da tarde) Elias não precisou falar muito, o sacrifício, a ousadia e a coragem baseada na profecia de Deus e na certeza da resposta, falaram por si, e na mesma hora o fogo desceu do céu consumindo o sacrifício, as pessoas caíram com o rosto em terra dizendo o que já sabiam, que o SENHOR era Deus, Elias eliminou os profetas de Baal.
                Depois de tudo isso Elias falou para Acabe subir e comer, pois haveria abundante chuva, mas primeiro Elias subiu no cume do monte e se ajoelhou, por quê? A bíblia não diz, talvez naquela hora ele suspirou caindo em si do que havia acabado de fazer, e naquela hora com certeza a fé se acendeu dentro de si, disse para o moço olhar para o céu e até então nada havia acontecido, nenhum sinal de chuva, mas ele disse pra ele repetir isso por sete vezes, e na sétima vez o rapaz viu uma nuvem pequena que podia medir na palma da sua mão, já era o suficiente para a profecia de Deus se cumprir, logo depois o céu se escureceu e choveu.
                Elias creu na profecia de Deus, e sua fé exigiu aquele desafio, a sua fé exigiu o sacrifício, ele poderia simplesmente falar aos profetas que quem respondesse com chuva seria Deus, mas isso ele já sabia que ia acontecer, ele precisou de algo mais arriscado aos olhos humanos, Elias era procurado e ameaçado de morte antes de chegar a Samaria, lembrando que a fome e a seca estavam dominando aquela região, se Deus não respondesse ali, seria certo que Elias fosse morto, já não tinha comida e ele ali fazendo holocausto, e era seca e Elias “desperdiçando” água derramando no animal e no chão, mas Elias creu e não teve medo de enfrentar a própria morte, os profetas de Baal também estavam profetizando, mas nada adiantava naquele instante, a fé de Elias exigiu aquele sacrifício para o povo crer na profecia, pois se não cressem, a chuva não viria, pois “A profecia não serve para o que não crê, mas para aquele que crê.”(1 Coríntios 14:22 King James Version)

Na fé...

Pr. Gustavo

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O que acontece no altar, ninguém esquece - Parte II

 "O motivo da sua vida e do seu ministério estar desse jeito, é porque você nunca entregou sua vida no altar de Deus, pois quando sua vida estiver no altar, você vai entender o peso da responsabilidade de salvar almas, por isso você tem essa oportunidade de não voltar para casa da mesma forma, o altar está ali, a decisão é sua, tome logo uma atitude!".
Foram as palavras que eu disse uma vez para um obreiro que tinha o desejo de ser pastor em uma cidade que eu passei. Depois daquele dia ele nunca mais foi o mesmo, suas atitudes eram outras, e hoje ele é pastor, mas porque houve uma decisão, houve uma escolha de mudança de vida. Aquelas palavras não foram leves para ele, pelo que eu me lembro foi a repreensão mais rígida que eu dei. O diabo quis que eu usasse o sentimento, mas se ele não tomasse aquela atitude naquele dia, hoje talvez ele nem estivesse mais na obra de Deus. Quem garante que uma pessoa vai permanecer se a vida dela não é o sacrifício? Ainda mais para quem tem o chamado de Deus no altar.
Entregar a vida no altar não é apenas subir nele e dizer com palavras, o altar não está limitado em uma construção feita pelos homens, para quem é o próprio sacrifício, o lugar que ela estiver vai ser o altar dela, foi o que Jacó fez:
"Tendo-se levantado Jacó, cedo, de madrugada, tomou a pedra que havia posto por travesseiro e a erigiu em coluna, sobre cujo topo entornou azeite." (Gênesis 28:18),
Por que Jacó não entornou o azeite no chão mesmo? De qualquer forma ele estaria derramando o que ele tinha de mais valioso em mãos naquele instante, aquela pedra, que ele erigiu por coluna foi o altar de Jacó, o sacrifício dele não poderia ser jogado em qualquer lugar, porque o lugar de sacrifício é no altar, essa é a função exclusiva dele, e naquele instante Jacó fez um voto e o chamou de Betel, que significa "Casa de Deus" naquele mesmo lugar foi onde Abraão armou sua tenda e edificou seu primeiro altar:
"Passando dali para o monte ao oriente de Betel, armou a sua tenda, ficando Betel ao ocidente e Ai ao oriente; ali edificou um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR." (Gênesis 12:8)
Jacó não tinha mais nada depois daquele dia, por isso ele fez um voto:
 "Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus; e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo." (Gênesis 28:20-22)
Dali em diante ele teve conquistas devido ao sacrifício que ele derramou no altar, mas ainda faltava ele se entregar no altar.

Continua.
Na fé.
Pr. Gustavo

quarta-feira, 19 de junho de 2013

É preciso estar só



"Tenho meditado continuamente em tudo que tenho lido e ouvido nos últimos dias. E me ative muito na perspectiva de que Jacó ficou só com Deus, e fiquei desejando ardentemente que não fossem só meditações, mas que esses pensamentos se tornassem atitudes de fé e coragem. Ficou só, imagine, ele ficou só porque ele tinha uma situação mal resolvida, ele ficou só porque ele sabia que tinha usado de dolo com Esaú, ele sabia que tinha errado. Na ocasião que ele fez aliança com Deus, Deus lhe fez promessas, mas mesmo assim ele sabia que tinha coisas a resolver. 

Quando Jacó transpassou o Vau de Jaboque, ele tinha tudo que um homem queria, ele era próspero, feliz, tinha filhos e esposas e com ele tinha dois bandos. Mas Sim, ele sabia que tinha uma pendência a ser resolvida que foi sanada de uma vez por todas quando ele lutou com Deus, e creio que ali ele lutou também consigo mesmo, com seus medos, o medo de morrer pela espada de Esaú, ele estava desesperado, mas lutou e creio eu que nesta luta ele também se arrependeu e se humilhou, ficou só. 

Ontem eu fiz isso, fiquei só e já tinha quase me esquecido como é bom estar em "solidão", aproveitar a solidão ou até mesmo forçar a solidão para ouvir a voz de Deus. O Espírito Santo me levou pela fé ao altar, de todos os sacrifícios que fiz até hoje, recordei metodicamente de cada um. Pensei nos pedidos que fiz, nas consequências que suportei, me lembrei inclusive que raras vezes em uma Fogueira Santa pedi para conquistar bens materiais, pensei no que havia pedido e porquê. 

E percebi que a cada sacrifício, cada vez que realmente fiquei na dependência de Deus, tive experiências extraordinárias, e a cada experiência meu laço estreitou com o Senhor Jesus, se estreitou mais ainda e foi isso que o sacrifício se tornou para mim, uma forma de crescer na minha intimidade com Deus. Quando você tem intimidade com alguém, você entende a vontade do outro. Ouve sua voz, é isso que o sacrifício é para mim, é o desenvolvimento da minha salvação, mas sinceramente, sempre que estou aos pés do altar do sacrifício, o medo vem, a insegurança vem, mas a certeza também vem. E é Nela que precisamos focar. 

Fique com Jesus, Deus continue abençoando."
Colaborou:


Theani Inácio

terça-feira, 18 de junho de 2013

O que acontece no altar, ninguém esquece - Parte I



Esse domingo na reunião do Bispo Macedo às 18h eu estava refletindo algo que já há alguns dias eu estava me questionando, no momento em que o bispo convidou as pessoas a subirem no altar para entregarem suas vidas, pouquíssimas pessoas subiram comparado ao número de pessoas presentes, por que muitas pessoas estão dentro da Igreja e ainda não se entregaram de fato no altar de Deus? Por que há resistência? Será que é porque não crêem? Usar o argumento de que as pessoas não crêem apenas é muito raso, é claro, se eu creio que se a minha vida estiver no altar de Deus, eu serei o próprio sacrifício, isso vai requerer de mim diariamente sacrifício seguido de sacrifício, mas a questão é que nem todos estão dispostos a sacrificar, nem todos querem pagar o preço, não porque não crêem, mas porque não querem abandonar a vida errada, porque nunca se converteram de fato, por falta de fé? Falta de palavra? Falta de informações? Não!


Quando aquelas pessoas subiram no altar e quando o restante das pessoas foram convidadas a se dirigirem em frente ao altar, eu fiquei observando aqueles dois grupos de pessoas, em cima do altar as pessoas que supostamente queriam entregar suas vidas no altar, e as que estavam em baixo, aquelas que supostamente já haviam entregado suas vidas, mas eu não me convenci naqueles números, daquelas pessoas que estavam em baixo, havia muitas que nunca se entregaram e aquelas que estavam em cima, estavam se entregando apenas de palavras, a entrega vai muito mais além disso!


Entregar a vida no altar significa dizer que você é o próprio sacrifício, antigamente o altar era uma mesa ou uma elevação constituída de pedras que o sacerdote ou líder espiritual realizava sacrifícios a Deus, foi pra isso que foi criado o altar, para sacrifícios, por isso que o que acontece no altar ninguém esquece, por isso que a pessoa nunca se esquece da primeira vez que ela sacrificou de verdade, de quando ela resolveu se despojar de tudo, assim como Jacó


“Levantou-se naquela mesma noite, tomou suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos e transpôs o vau de Jaboque. Tomou-os e fê-los passar o ribeiro; fez passar tudo o que lhe pertencia, ficando ele só[...]” (Gn 32:22-23)


Jacó estava só, não tinha mais nada, tudo aquilo que representava suas conquistas, ele deixou passar, porque a maior mudança que ele necessitava era a mudança de vida, por isso que a pessoa tem que se despojar, não há como se entregar no altar se você não estiver só, Jacó teve que ficar só, Moisés teve que ficar só, Abraão teve que estar só, o próprio Senhor Jesus estava só quando decidiu que a vontade de Deus prevalecesse e que houvesse o sacrifício.


Quando você se entrega no altar, você é o próprio sacrifício, e quando eu permaneço no altar, eu estou e comunhão com Deus, porque eu sou o sacrifício, o significado da palavra “Sacrifício” é “Vir para perto de Deus” Por isso que o altar é o ponto de contato da comunhão com Deus, pois sacrifícios são entregues no altar.


Continua...




Na fé.

Pr. Gustavo