Páginas

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Altar - parte V

Essa é a parte em que o Senhor Jesus fala a respeito das dificuldades, que particularmente é a que mais gosto, mas que tipo de dificuldades nos vem à mente quando ouvimos falar dela? Talvez passar por privações, necessidades, fome, frio, ser rejeitado ou ser injustiçado e etc. Isso vem à mente talvez pelo fato da pessoa ter abandonado tudo e naturalmente enfrentaria uma nova experiência, que vai exigir adaptações, mas o Senhor Jesus se refere a outro tipo de dificuldade, aquelas que passamos se formos dar ouvidos à emoção, "Pois vim causar divisão entre o seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra." (Mt 10:35).
Mas por que motivos o Senhor Jesus causaria tais divisões? é claro de entender, a pessoa só pode fazer a vontade de um só Senhor, ou ela cede às emoções ou a Deus, na obra não pode haver sentimentos, éssa é a dificuldade principal que encontramos "Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim." (vers 37).
Você deve estar ciente de que ninguém te obrigou a largar tudo, sua família passa a ser o altar, o povo e os obreiros, mas se você se concentra em fazer o que deve ser feito, não há espaço para solidão, saudades da carne e você aprende a lidar com tudo isso, aliás quem tem o Espírito Santo não precisa de nada, não tem solidão, eu vejo pastores que saem da obra porque estava sentindo solidão, saudades da namorada enfim, 
aonde é que entra o Espírito Santo nessa hora?
Dificuldades é o que você mais vai encontrar na obra, mas cabe a você não deixar ser levados por ela.

"Pois que glória há, se sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus (1Pe 2:20)
    
                                 
Esteja pronto para nunca olhar o defeito dos homens, pois a obra é de Deus, mas é composta por homens e homens têm falhas, e quando passa a olhar para as falhas, perde-se o temor e é o que o diabo mais quer de você, conseguir tirar isso de você.
Nem todo mundo que senta do seu lado na reunião é convertido, assim também encontramos na obra e quando encontramos devemos orar, apenas orar que Deus vai mostrar!
"Recomenda estas coisas. Dá testemunho solene a todos perante a Deus, para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam, exceto para subversão dos ouvintes." (2Tm 2:14)
Cobranças? se prepare, pois você vai se deparar com muitas delas, não se entristeça se você está sendo cobrado, "esbofeteado" por algo que você não fez...
Se você tem culpa, que glória há? você sabe que deve suportar com paciência, agora se fazendo o bem, o certo, é afligido, suportando pacientemente é agradável a Deus, aleluia!
Na fé...
Pr. Gustavo

domingo, 19 de dezembro de 2010

Altar - parte IV

Quando o Senhor Jesus admoestou os discípulos falando a respeito de como seria suas vidas após a escolha dos que queriam segui-lo ele estimulou, pois Ele sabia que não seria fácil, Ele deixou bem claro que cargo não vale nada. "O discípulo não está acima de seu mestre, nem o servo, acima de seu senhor. Basta o discípulo ser como o seu mestre." (Mt 10:24-25) 
Um detalhe que eu notei depois de vim pra obra, é que as pessoas que querem mudar de vida não olha o título de quem está em cima do altar, se essa pessoa vir espírito, segurança e caráter de quem está alí, não importa o que essa pessoa seja, vai dar ouvidos independentemente se é pastor, bispo ou até mesmo obreiro, isso porque o mesmo possui a luz de Deus, e os necessitados só vão atrás de quem tem luz pra passar, elas não querem saber o título.
Eu conheço uma obreira em Joinville SC que muitas pessoas sempre pedem orientação a ela, inclusive já fui atendido por ela, mesmo tendo o pastor alí naquela igreja as pessoas a procuram, porque ela tem a luz de Deus, aparentemente ninguém dá nada, mas sua vida com Deus ninguém pode apontar o dedo e falar coisa alguma.
Não olhe para suas condições, olhe para Deus "Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante do meu pai que está nos céus;" (Mt 10:32)
Na fé... 
Pr. Gustavo  

Altar - parte III


º- "Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. E acautelai-vos dos homens; porque vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas;" (Mt 10:16-17)
A pessoa que se deixa ser guiada pelo Espírito Santo não se preocupa pra aonde o Espírito Santo a envia, porque ela confia em Deus, e se ela confia em Deus é porque houve uma entrega total de sua vida e ela não teme a entrega porque conhece o Deus pra quem ela entregou sua vida, e sabe que quem conduz é o Espírito Santo e Ele jamais guiaria alguém para um lugar que venha prejudica-la, eu me recordo de um dos meus companheiros de obra, aliás não só de um, existe uma Igreja no Estado de Santa Catarina que eu não me recordo o nome da cidade, que dos três últimos pastores que foram cuidar voltaram com medo daquele lugar porque tinha um homem que queria matar qualquer pastor que fosse pra lá, na verdade ele dizia que não deixaria aquela Igreja ficar aberta, parece que passou um pastor que deu problema e para se vingar desse pastor ele perseguiria qualquer um que fosse lá, mas eu ficava inquieto e me colocava no lugar desses pastores, como que Deus iria permitir que o pior acontecesse se Deus estava sobre o controle de qualquer situação, até que ponto via a confiança? O senhor Jesus não mentiu em nenhum momento, ele falou que nos enviaria como ovelha no meio de lobos, aos olhos humanos isso é loucura, como uma ovelha pode se defender de um lobo? e mesmo se fosse matar, eu teria certeza da minha salvação.
Quem verdadeiramente se entregou no altar confia e nem se preocupa com o que terá que falar : "E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer, visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós."(vers. 19 e 20)
Continuaremos a falar mais sobre isso.
Na fé...
Pr. Gustavo