Páginas

domingo, 2 de janeiro de 2011

Orgulhoso? Eu?

  

   Como é difícil ouvir quando estamos errados, ninguém se agrada em ser chamado a atenção, mas felizmente precisamos ser corrigidos para que o nosso caráter seja construído segundo o de Deus, se somos servos estaremos sujeitos a falhas e correções, o Pai só exorta ao filho que ama, da mesma forma é Deus conosco, só que Ele usa pessoas só para ver qual será a nossa reação, muitas pessoas que atendemos pensam que quando falamos queremos ser mais do que ela, mas na verdade não é bem assim, nós que servimos a Deus, sabemos que nem todos acham que estamos falando para o bem delas, mas o que podemos fazer?
   Enquanto ela não quebrar o orgulho e ver que precisa mudar, nada vai adiantar.  

"Quem fala por si mesmo está procurando a sua glória; mas o que procura a glória de quem o enviou, esse é verdadeiro, e nele não há injustiça." (Jo 7:18)

Quando entregamos a nossa vida no altar já não falamos mais por nós, não existe intenção de glória, mas aquele que não entregou realmente não tem o que passar, são só palavras vazias querendo passar ser alguém que na verdade não é com intenção de glória, ser reconhecido.
   Não me importo se a pessoa hoje não reconhece o que eu fiz por ela, conheço muitos homens e mulheres de Deus hoje que ajudei na formação do caráter de Deus e que hoje não lembram mais das coisas que aconselhei, infelizmente esqueceu, mas o importante é que Deus viu, há pessoas que nem imagina que oro por elas todos os dias, mas não preciso falar, pois é para Deus que eu oro. Quando o servo de Deus fala, só reconhece que é Deus quem faz a Sua vontade. 


"Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se eu falo por mim mesmo." (Jo 7:17) 

Nós temos o poder

"Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nó," (Ef 3:20)

   Acredito que alguma vez você já tenha lido esse versículo, mas será que Deus tem feito tudo quanto você pediu ou até mesmo pensou? Isto só é possível conforme o poder de Deus, que opera em nós, mas o que seria esse poder que opera em nós? Não seria a voz do Espírito de Deus que através da fé impeli a gente a ser forte e alcançar a vitória? Não seria o mesmo fogo que operou em Moisés ao queimar a sarça no deserto? Não seria esse mesmo poder que livrou Daniel e seus companheiros da fornalha de fogo? O mesmo poder que fez Elias descer fogo do céu? O mesmo que agiu em Davi, Salomão, Sansão, José, Jefté, enfim e até mesmo no Senhor Jesus? Esse poder é a fé!
   Os filhos de Israel estavam sendo escravizados por muitos anos, eles já não tinham mais perspectivas nem de sonhar, ou seja, além de estarem com seus corpos escravizados estavam também escravos na alma, mas o que fazer para mudar aquela situação? Uma filosofia? um Pensamento? Uma religião? Só o poder do fogo de Deus e o calor da fé pode aniquilar os malefícios da dúvida. O fogo começa dentro da gente, quando Moisés desceu do monte Sinai, desceu com a tocha viva dentro dele, e foi ascendendo as sarças escravas.
   A fé não é para escravizar, monopolizar, não é para outra coisa a não ser para libertar, a fé é a única arma capaz de vencer o inferno, Deus viu em Moisés o que Ele estava procurando por muito tempo em alguém, mas nunca achou. 
Deus não usou Moisés porque ele era melhor, mais forte, na verdade aos olhos humanos ele não tinha condição nenhuma, não era referencial para um libertador, mas Deus viu a atitude de revolta dele e é assim que funciona a fé, atitude sem medo.
   Essa é a fé que OPERA em nós, não uma fé parada, morta, pois ela sem obras é um corpo sem vida.
Na fé...
Pr. Gustavo