Páginas

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O dia em que nasci

Eu nunca falei a ninguém como foi o meu batismo com o Espírito Santo, se falei não me recordo e foi para bem poucas pessoas, que eu me lembre foi para o pastor que me entrevistou para ser levantado a obreiro na Igreja que freqüentava como membro. Para começar queria dizer que foi uma das coisas mais importantes que já aconteceu na minha vida, depois desse dia tudo se tornou diferente, comecei a ver as coisas com outros olhos, com os olhos de Deus e o desejo de ganhar almas aumentava a cada dia que passava.
Eu já estava buscando o batismo há dois anos, bastante tempo para uma pessoa alcançar, mas tinha uma coisa que me impedia que acontecesse esse milagre que eu só fui entender em uma reunião de quarta-feira com o Pastor Ednaldo Lima.
Nesse dia eu estava bem atribulado com certas coisas que tinha acontecido em casa, minha família inteira já foi da Igreja, mas só estava indo eu e a minha avó nessa época firmes, minha irmã que hoje é obreira ia, mas não tinha um compromisso sério com as coisas de Deus, era só eu ela agora pensa, eu tinha 14 anos e não tive alguém que me acompanhasse para me orientar mais a respeito dessa questão, eu ajudava no núcleo, que hoje é Igreja no bairro em que morava, fazia tudo que uma pessoa cheia do Espírito Santo fazia e até mais que um obreiro, chegava cedo na Igreja, abria, varria, limpava os banheiros, tirava pó dos bancos e do altar, deixava tudo pronto para o pastor ou até mesmo um obreiro chegar para fazer reunião no núcleo, depois eu fechava tudo, levava a chave da Igreja pra casa e assim a semana toda, tinha uma obreira que sempre estava cuidando do núcleo também.
Praticamente nasci na Igreja, cheguei aos meus seis para sete anos na E.B.I., nunca conheci o mundo e suas ilusões, hoje dou graças a Deus por isso, era difícil eu entender que só aquilo não bastava, não adianta nada a pessoa nascer na Igreja, mas não ter um novo nascimento, é mais difícil tanto é que depois que a minha irmã começou o processo de libertação logo ela recebeu o Espírito Santo e foi levantada a obreira, ela levou um ano, já eu pra tudo isso foram quase cinco anos.
Naquela quarta feira fui até à sede participar da reunião lá, e o pastor falava a respeito da pessoa ser batizada com o Espírito Santo, que era o penhor da salvação, mas se a pessoa está buscando ela deve ser renovada de si mesma, Deus jamais derramaria o seu Espírito em um coração sujo, não se põe vinho novo em odre velho e nem vinho velho em odre novo, para receber esse vinho meu coração deveria ser novo, e a pergunta retórica que ficou no ar "E você? o que deve mudar em seu coração? ou você não precisa mudar?".
Aquelas palavra penetraram nos meus pensamentos e ficavam martelando a reunião toda até que o pastor disse: "Se você vir que necessita mudar algo em seu coração então venha até aqui à frente que eu vou orar por você." Fui uma das primeiras pessoas em chegar na frente do altar, estava decidido a não sair dali diferente.
Naquele momento eu esqueci de tudo e todos, não me importei o que as pessoas pensaria ao meu respeito, estava concentrado em uma só coisa, um novo coração, nem preocupado em ser batizado eu estava tanto, tamanho era o meu desejo em ter um novo coração para depois receber um vinho novo.
Foi então que aconteceu o maior milagre da minha vida, fui tomado pela presença de Deus e comecei a orar em outras línguas e quando a oração acabou eu estava com um brilho diferente, tudo pra mim era motivo de festa, queria abraçar todo mundo e gritar "EU TENHO O ESPÍRITO SANTO!!!!!!!!!!!!" foi inesquecível, até das músicas eu me lembro.
Depois desse dia pra mim toda semana eu não me sentia bem se não estivesse evangelizando, comecei a dar frutos no Força Jovem, pois foi daí que comecei a aparecer, já tinha ido algumas vezes, mas sem compromisso, sempre dei o meu melhor no Força Jovem, sempre acompanhei outros jovens para receber o Espírito Santo, pois eu não tive essa oportunidade, procurei a fazer aos outros o que não fizeram por mim, pois eu sempre acreditei que lá na frente eu iria colher, infelizmente foram poucos os que foram batizados com a minha ajuda, tudo depende da pessoa, talvez muitos não deram valor, mas eu fiz a minha parte. 
"Nem se põe vinho novo em odres velhos; do contrário, rompem-se os odres, derrama-se o vinho, e os odres se perdem. Mas põe-se vinho novo em odres novos, e ambos se conservam." (Mateus 9:17)
Na fé...
Pr. Gustavo

Um comentário:

Vanilda disse...

Eu estava nesse dia na reunião e foi inesquecível.